Desprezo da torcida do Palmeiras por Edílson é reflexo das atitudes do ex-jogador com o clube que o lançou no cenário do futebol mundial!

Carlos Sartori
Carlos Sartori

O ex-jogador Edílson cometeu o maior erro que um atleta jamais pode pensar em ter: criticar e humilhar o clube que defendeu. Isso o torcedor jamais esquece. O preço é o desprezo. E foi por isso que a maior torcida organizada do Palmeiras apagou a sua imagem de um mosaico com os jogadores campeões paulistas de 1993.

No último sábado (12), no Allianz Parque, no clássico contra o Corinthians, o rosto do Capetinha foi substituído por uma imagem do mascote da principal torcida. Era uma homenagem ao título paulista de 1993 conquistado no mesmo dia 12 de junho, há exatos 28 anos.

Edílson não aparece entre os 11 campeões do Verdão!
Edílson não aparece entre os 11 campeões do Verdão! Reprodução


Por várias vezes, Edílson ironizou o ex-clube enfatizando ser corintiano. Torcedor não perdoa atitudes como essa. Ainda mais quando um o jogador era querido e foi lançado ao cenário nacional do futebol brasileiro pelo clube. Aliás, cenário mundial. Depois do sucesso no Palmeiras, Edílson foi jogar na Europa, no Benfica, em Portugal, e posteriormente vendido ao futebol japonês para defender o Kashiwa Reysol. Quando foi para o Corinthians, ao retornar ao Brasil, a relação com os palmeirenses azedou.

Um dos principais motivos que fizeram a torcida “odiar” o ex-ídolo foi a famosa embaixadinha “humilhante” proporcionada por ele na conquista do título paulista do Corinthians contra o Palmeiras, em 1999. A atitude do jogador causou uma briga generalizada. Era o fim do amor entre torcida e o jogador que vestiu a camisa 10 do Verdão. Depois disso, Edílson reforçou em várias entrevistas que era torcedor do Corinthians, além de algumas cutucadas.

Edílson foi contratado pelo Palmeiras, no time milionário da Era Parmalat, depois de um jogo em que ele acabou com o Verdão defendendo o Guarani, em pleno Parque Antártica. Pelo Palmeiras, Edílson conquistou quatro títulos importantes: Paulistão (1993 e 1994), Brasileirão (1993) e Torneio Rio-São Paulo (1993). De 1993 a 1995, o meia-atacante disputou 126 jogos pelo Verdão e marcou 46 gols.

Nesta segunda-feira (14), Edílson sentiu o baque da atitude da torcida e pediu desculpas pelos erros cometidos. 

“Mesmo vocês fazendo isso eu me orgulho muito em ter vestido essa camisa tão grande do futebol mundial. Palmeiras, clube que me deu a oportunidade de ser conhecido no mundo inteiro, muitos títulos conquistados com muita dedicação e suor. Sempre fui um profissional grato a todos os clubes que passei, principalmente a quem abriu as portas no início da minha carreira. Se um dia fiz algo de errado, peço desculpa a todos os torcedores e diretoria. Quanto a ser corintiano, foi uma opção, escolha e tem que ser respeitada. Nada apaga uma história”, desabafou o Capetinha.

Nunca é tarde para reconhecer as atitudes equivocadas da vida, mas como torcedor é inconsequente e guarda mágoas, se depender deles, o jogador que teve uma bela história no Palmeiras será eternamente esquecido. 

Lisca explica saída do América-MG e faz agradecimento emocionado ao clube; VEJA!

         

    

 

Comentários

Desprezo da torcida do Palmeiras por Edílson é reflexo das atitudes do ex-jogador com o clube que o lançou no cenário do futebol mundial!

COMENTÁRIOS

Use a Conta do Facebook para adicionar um comentário no Facebook Termos de usoe Politica de Privacidade. Seu nome no Facebook, foto e outras informações que você tornou públicas no Facebook aparecerão em seu cometário e poderão ser usadas em uma das plataformas da ESPN. Saiba Mais.

A força das redes sociais nas contratações de jogadores

Carlos Sartori
Carlos Sartori

Parece até brincadeira, mas David Luiz só está no Flamengo por causa de um torcedor cearense. Nem o vice-presidente de futebol do rubro-negro acreditava nessa negociação.  No dia em que Euclides Lima subiu a campanha #DavidLuizNoMengo no Twitter, conversei com Marcos Braz e ele disse em bom tom: “A torcida do Flamengo é insaciável. Não vou comentar o que a torcida do Flamengo pede. Eu até entendo", declarou em 19 de agosto. 

A boa ideia do torcedor de 25 anos, morador da cidade de Pereio, que fica a 350 quilômetros de Fortaleza, e com 16 mil habitantes, conquistou a nação rubro-negra com mais de 40 milhões de torcedores. Virou um tsnunami nas redes sociais. Um engajamento que atingiu milhares de torcedores e até o próprio David Luiz. Inclusive o atleta, no dia da apresentação no Flamengo, agradeceu o dono da sacada e com bom faro de mercado da bola. O zagueirão deveria até dar uma grana ao torcedor que se tornou ilustre pelo "agenciamento".

"Meu agradecimento ao Euclides, muito obrigado. Espero um dia te conhecer, espero um dia te dar um abraço, e a tua decisão com certeza tocou o meu coração", disse David Luiz. 

Alegria, alegria, na apresentação de David Luiz
Alegria, alegria, na apresentação de David Luiz Marcelo Cortes / Flamengo


Esse tipo de ação tem se tornado comum no Brasil. A força das redes sociais abre horizontes e muda a forma de relacionamento entre clube e torcida. O próprio twitter do Marcos Braz, serve exclusivamente para responder críticas ou até mesmo questões mais complexas como a brilhante ideia do torcedor cearense.

“Eu tenho um canal de comunicação com a torcida para a minha defesa. Hoje é uma loucura. Se eu for atacado, por exemplo, posso me defender. Antes não era assim”, disse Braz.

Loucura ou não, 23 dias depois, David Luiz estava contratado. A ideia que viralizou talvez não fosse concebida sem esse apoio popular da maior torcida do Brasil. 

Está cada vez mais difícil ser diretor de futebol no Brasil.

Zinho diz que Renato Gaúcho 'tem mais moral' que Jorge Jesus para falar sobre irritação em campo com Gabigol

 

 

Comentários

A força das redes sociais nas contratações de jogadores

COMENTÁRIOS

Use a Conta do Facebook para adicionar um comentário no Facebook Termos de usoe Politica de Privacidade. Seu nome no Facebook, foto e outras informações que você tornou públicas no Facebook aparecerão em seu cometário e poderão ser usadas em uma das plataformas da ESPN. Saiba Mais.

Pedro, um reserva de luxo e decisivo, Renato Gaúcho, o Rei do Flamengo, e a torcida...cadê?

Carlos Sartori
Carlos Sartori

A pequena torcida do Flamengo de volta ao Maracanã, apenas 6.446 pessoas, esperava uma festa contra o Grêmio, leia-se goleada, mas viu o técnico Renato Gaúcho entrar para a história do Rubro-negro com o melhor início de trabalho, e Pedro brilhar com dois gols no segundo tempo. Se Gabigol não faz, o reserva de luxo entra e decide. Esse é o diferencial do melhor time do Brasil. Tem substitutos à altura dos titulares. O Flamengo segue com 100% de aproveitamento na competição e nenhum gol sofrido.

O camisa 9, titular, poderia ter feito o primeiro do Flamengo de pênalti no segundo tempo. A arbitragem fez que não viu. Gabigol estava tenso, talvez pela penalidade não marcada, e minutos depois chutou a bola longe por causa de paralisação do árbitro. Sobrou até para Felipão. O centroavante bateu boca com o técnico adversário. Substituído, aos 15 minutos, saiu bravo de campo e gesticulando com a opção do comandante dele.


Pedro, o dono da noite no Maracanã
Pedro, o dono da noite no Maracanã Marcelo Cortes / Flamengo



Pedro que não tinha nada com isso, quase fez um golaço, aos 29 minutos. Everton Ribeiro cruzou, o atacante dominou no peito dentro da área, e deu uma bicicleta. A bola quase entrou. Dessa vez, o VAR viu o desvio na mão de Rodrigues e foi assinalado a penalidade. Pedro abriu o placar, aos 33 minutos.

Everton Ribeiro participou do segundo gol. Pedro serviu ele, e o camisa 7 acertou a trave. No rebote, Pedro fez o gol da vitória. Flamengo 2 a 0, goleada no placar agregado: 6 a 0.

Pedro chegou a 37 gols em 87 jogos com a camisa rubro-negra. O 14º tento na temporada. O atacante superou Bruno Henrique (13) e só fica atrás de Gabigol.

O Flamengo se tornou o segundo clube que mais chegou à semifinal da Copa do Brasil (1989-2021): 14 vezes. O Grêmio, eliminado, ainda lidera, com 15. O Tricolor gaúcho deu adeus ao sonho do sexto título. O time carioca busca a quarta taça.


Pedro marca 2, Flamengo vence Grêmio de novo e elimina adversário com 6 a 0 no agregado; VEJA



Enquanto isso, Renato Gaúcho se isolou com o melhor início de trabalho de um técnico na história do Flamengo. 89,6% de aproveitamento com 14 vitórias, um empate e uma derrota. O recorde era de Sebastião Lazaroni, em 1985, com 87,5% de aproveitamento: 13 vitórias e três empates.

Agora, a semifinal terá um duelo rubro-negro entre Flamengo e Athletico. O time de Renato Gaúcho é o time a ser batido na Copa do Brasil com 100% de aproveitamento. Em seis jogos, seis vitórias, 16 gols marcados e nenhum sofrido.

Antes, o time carioca enfrentará novamente o Grêmio, domingo, no Maracanã, pelo Brasileirão. Isso é, se o jogo não for adiado por causa de 17 clubes indignados com a torcida presente no duelo desta noite. Ter comercializado “apenas” 6.277 ingressos para uma renda de R$ 794.005,00, com certeza, não valeu tanto estresse. Palmas para o torcedor que evitou ir até o Maracanã ainda com a pandemia da covid fazendo vítimas. O tiro do Flamengo saiu pela culatra.

Renato Gaúcho rasga elogios a Pedro e crava: 'Se não estiver nessa Copa do Mundo, com certeza estará na próxima'

Comentários

Pedro, um reserva de luxo e decisivo, Renato Gaúcho, o Rei do Flamengo, e a torcida...cadê?

COMENTÁRIOS

Use a Conta do Facebook para adicionar um comentário no Facebook Termos de usoe Politica de Privacidade. Seu nome no Facebook, foto e outras informações que você tornou públicas no Facebook aparecerão em seu cometário e poderão ser usadas em uma das plataformas da ESPN. Saiba Mais.

A briga do Grêmio nos bastidores é justa, mas quero ver reverter o resultado elástico do Flamengo em campo

Carlos Sartori
Carlos Sartori

Não pode haver no futebol ou em qualquer ramo da nossa sociedade dois pesos e duas medidas. Concordo com o Grêmio em lutar para impedir a presença de torcedores no jogo de volta da Copa do Brasil, nesta quarta-feira (15), no Maracanã. No duelo de ida, não teve público. Mas verdade seja dita, o Flamengo é imbatível dentro e fora de campo. Time forte com diretoria política e que age como nenhum outro clube. Não concordo. Por toda a sua história, o Rubro-negro poderia pensar diferente, mas isso é questão de opinião, e quem sabe, ética.

A conjunção condicional “se” também não pode ser usada para explicar o fiasco na ida na Arena do Grêmio. Goleada humilhante para o Flamengo que ainda atuou com um jogador a menos em boa parte do segundo tempo. Digo isso, pois ouvi alguns torcedores dizendo que “se” o Tricolor gaúcho tivesse o apoio da torcida em casa, a história poderia ter sido outra. Talvez. Não acredito.

Na ida, 4 a 0 Flamengo na Arena do Grêmio
Na ida, 4 a 0 Flamengo na Arena do Grêmio Alexandre Vidal / Flamengo



Por justiça, o jogo decisivo das quartas de final no Maracanã deveria ser sem público. Apoiaria nas semifinais, com direitos iguais, desde que os protocolos fossem respeitados, e não sei se será nesse jogo. Sem torcida, o Flamengo é um timaço, com o apoio dos torcedores, será muito difícil ser goleado em casa e perder a elástica vantagem. A nação rubro-negra está carente de ver o seu time e jogando o fino, será uma união perfeita. Para o torcedor, pouco importa se foi no tapetão, no cambalacho ou em estratégias na justiça.

O Grêmio atacou, atacou, e recuou. Engoliu a seco o benefício do time carioca e provavelmente irá ao Maracanã com time reserva para encarar os 25 mil torcedores. Será mais um dia de aglomeração no país das e dos bananas.

Com a goleada por 4 a 0 na ida, o Flamengo poderá perder por três gols de diferença que ainda avança. Na Copa do Brasil, não existe gol qualificado na briga pela classificação. Nesse duelo de gigantes, o time carioca está quatro passos à frente do gaúcho. 

 Michael no Flamengo: temporada do atacante tem golaços com jogadas individuais e gol decisivo na Libertadores

Comentários

A briga do Grêmio nos bastidores é justa, mas quero ver reverter o resultado elástico do Flamengo em campo

COMENTÁRIOS

Use a Conta do Facebook para adicionar um comentário no Facebook Termos de usoe Politica de Privacidade. Seu nome no Facebook, foto e outras informações que você tornou públicas no Facebook aparecerão em seu cometário e poderão ser usadas em uma das plataformas da ESPN. Saiba Mais.

Messi, Mbappé e Neymar: um trio para fazer história na Champions, desde que Pochettino consiga encaixar talentos de sobra

Carlos Sartori
Carlos Sartori

Compatriota de Lionel Messi, o técnico argentino Mauricio Pochettino chegou em janeiro de 2021 para tentar dar o título inédito da Champions League ao Paris Saint-Germain. Não deu certo, o PSG foi eliminado na semifinal pelo inglês Manchester City. Porém, o que o comandante jamais imaginaria é que sete meses depois da sua contratação, e aos 49 anos, comandaria o maior craque da atualidade no time francês na belíssima cidade luz. Os dois têm uma forte ligação: torcem para o Newell´s Old Boys e vieram de Rosário. Pochettino já jogou contra Messi, nos tempos de jogador.

Mas o PSG não é só Messi. Além dele, outras estrelas reforçaram o time na janela de verão europeia como o experiente zagueiro Sérgio Ramos vindo do Real Madrid, o capitão da seleção holandesa Georginio Wijnaldum, o goleiraço Gianluigi Donnarumma da seleção italiana para citar alguns.

Messi e Neymar no último treino
Messi e Neymar no último treino Twitter PSG

Do trio de craques do Paris Saint-Germain, Lionel Messi é anos luz melhor do que Mbappé e Neymar. É também o maior vencedor da Champions League com quatro títulos. Neymar faturou um, e o francês Mbappé, nenhum.

Nas últimas seis edições da Champions, o craque argentino é o terceiro maior artilheiro com 37 gols, em 43 jogos. Atrás apenas de Cristiano Ronaldo, 42 bolas nas redes, em 50 partidas, e Lewandowski, com 43 tentos, em 45 jogos. Mbappé é o quarto goleador com 27 gols, em 45 atuações. O brasileiro fez 24 em 38 partidas, e é o sétimo maior artilheiro.

Pela fase de grupos da competição, de 1992 a 2021, Messi é o goleador máximo com 71 bolas nas redes, todos pelo Barcelona. Atrás dele, Cristiano Ronaldo com 69 gols. Essa edição da Champions será mais uma para CR7 e Messi duelaram por recordes. O craque português largou na frente. Ele igualou o goleiro espanhol Iker Casillas com mais jogos disputados (177) na história do maior torneio de clubes da Europa, desde a criação em 1955. Messi está distante com 144 participações. O espanhol Xavi está na frente do argentino com 151 jogos.

Messi é o segundo artilheiro, com 120 gols, atrás de Cristiano Ronaldo, o número 1, com 135. Um anotado nesta terça-feira (14), na derrota do Manchester United por 2 a 1, e de virada, para a surpresa Young Boys. Neymar é o 16º com 41 gols, empatado com Agüero.

A briga de Messi não será com Neymar ou Mbappé. Ele será o diferencial desse forte trio do Paris Saint-Germain que começa nesta quarta-feira (15), contra o Brugge, na Bélgica, a caminhada em busca do título inédito da Champions League. Nem sempre, os melhores times conquistam uma taça, mas o PSG vem forte na competição com o segundo elenco mais valioso: 997,75 milhões de euros. Só o inglês Manchester City investiu mais: 1,04 bilhões.  

Mas é bom lembrar que em um duelo contra o belga Brugge na fase de grupos da Champions League (2019/20), Kylian Mbappé entrou no segundo tempo, quando o PSG vencia por 1 a 0, e participou de quatro gols. Deu uma assistência para Icardi e fez um hat-trick. Nesse duelo, Mbappé passou Lionel Messi e se tornou o jogador mais jovem da história a chegar a 15 gols na Champions. Quando o argentino estabeleceu o recorde, tinha 21 anos e 289 dias de vida. O francês atingiu à marca com 20 anos e 306 dias. O francês é o quinto jogador mais jovem a anotar um hat-trick no torneio. Raúl, Rooney (com 18 anos), Haaland e Yakubu (com 19) são os únicos na sua frente. A lista de recordes por causa dessa partida é imensa, o que prova o potencial do jogador francês. Ele não será coadjuvante, assim como Neymar.

O segredo do PSG será a harmonia entre os três craques. Um complementando as qualidades do outro e que são muitas. Jogando para a equipe, o time francês poderá fazer história e quem sabe se tornar imbatível. Pochettino disse na última entrevista que tem um grupo em que a maioria dos jogadores merece ser titular, mas infelizmente apenas 11 podem começar jogando. Se ele conseguir que Messi, Mbappé e Neymar brilhem juntos, o resto será consequência. Só não concordo com o que ele disse de que é preciso ter sorte para vencer. Com o time que tem nas mãos, a bola está nos pés do sortudo técnico argentino.

Champions: Lewandowski brilha com 'doblete', e Bayern bate o Barcelona no Camp Nou; veja os gols 

Comentários

Messi, Mbappé e Neymar: um trio para fazer história na Champions, desde que Pochettino consiga encaixar talentos de sobra

COMENTÁRIOS

Use a Conta do Facebook para adicionar um comentário no Facebook Termos de usoe Politica de Privacidade. Seu nome no Facebook, foto e outras informações que você tornou públicas no Facebook aparecerão em seu cometário e poderão ser usadas em uma das plataformas da ESPN. Saiba Mais.

Dia esquisito! Como o Barcelona se comportará sem Messi e com o 8 a 2 do Bayern ainda na cabeça?

Carlos Sartori
Carlos Sartori

O mundo do futebol vai parar nesta terça-feira para ver como será o comportamento do Barcelona no primeiro duelo da Champions League sem o seu maior jogador da história, Lionel Messi, e contra o Bayern de Munique, clube alemão que aplicou uma goleada vexatória no time catalão por 8 a 2. O massacre aconteceu no dia 14 de agosto de 2020, há exatos 13 meses.

Naquele fatídico dia, em Lisboa, Messi estava em campo e nada pode fazer para evitar o atropelo alemão com quatro gols em cada tempo, a famosa brincadeira vira quatro, acaba oito. Foi a pior derrota da história do Barcelona em competições europeias. Quem presenciou aquele jogo, com certeza achou que era um pesadelo. A atuação sofrível, ainda está na cabeça do torcedor do Barça.

O massacre bávaro, com um 8 a 2 inesquecível, marcou o fim de uma era. Nesse jogo, Lionel Messi pressentiu que seu futuro no clube estava no fim, mas jamais imaginou que sairia do Barcelona.

Thomas Müller e Serge Gnabry comemoram gol do Bayern de Munique diante do Barça
Thomas Müller e Serge Gnabry comemoram gol do Bayern de Munique diante do Barça Getty Images



Sem Messi e Luis Suárez, o brasileiro Philippe Coutinho é esperança de um novo ciclo no clube catalão, mas ele foi um dos carrascos na goleada. Emprestado pelo Barça ao Bayern, entrou no segundo tempo e brilhou com uma assistência e dois gols. O que parecia um sonho para alguns, acabou em pesadelo para outros.

Sorte que dessa vez o duelo será em casa, o Camp Nou, na primeira rodada do Grupo E. Será um jogo estranho sem Messi, que desde 2003/04, um total de dezessete temporadas, carregou o time nas costas e conquistou quatro Champions League.

O Barcelona que já foi uma potência é hoje apenas o oitavo elenco mais valioso da maior competição de clubes da Europa. Vale 676 milhões de euros. O Bayern de Munique é o sexto: 852,40 milhões. Curioso que o Barça fica atrás de Atlético de Madrid (755,20) e Real Madrid (783,50). O PSG de Messi é o segundo mais valioso (997,75). Só fica atrás do Manchester City (1,04 bilhões de euros).

O que esperar de Barcelona e Bayern de Munique? O time alemão soma seis títulos da Champions, contra cinco do Barcelona. Em 2020, valia uma vaga na semifinal, hoje apenas o primeiro duelo da fase de grupos. Um jogo em que pode acontecer de tudo. Mas a única certeza é que Lionel Messi estará em frente à televisão, lá na Bélgica, acompanhando o duelo. O craque estreia pelo Paris Saint-Germain no dia seguinte, contra o Brugge. Será um dia esquisito na linda cidade de Barcelona.

Champions League: Barcelona e Bayern se reencontram após goleada histórica; Bertozzi analisa

Comentários

Dia esquisito! Como o Barcelona se comportará sem Messi e com o 8 a 2 do Bayern ainda na cabeça?

COMENTÁRIOS

Use a Conta do Facebook para adicionar um comentário no Facebook Termos de usoe Politica de Privacidade. Seu nome no Facebook, foto e outras informações que você tornou públicas no Facebook aparecerão em seu cometário e poderão ser usadas em uma das plataformas da ESPN. Saiba Mais.

Inter e Cuiabá tiveram o melhor desempenho na 1ª rodada do 2º turno do Brasileirão

Carlos Sartori
Carlos Sartori
Patrick desencanta e dá vitória ao Colorado
Patrick desencanta e dá vitória ao Colorado Inter Divulgação

A 20ª rodada do Campeonato Brasileiro teve 22 gols, com média de 2,2 por partida. O placar mais elástico da primeira jornada do segundo turno foi aplicado pelo Flamengo na casa do Palmeiras: 3 a 1. O time carioca tem o melhor ataque da competição (35 gols) e o maior saldo (18). E por falar em gol, o atacante Michael do Flamengo foi o destaque da 20ª rodada com dois gols. O Rubro-negro subiu duas posições na tabela e assumiu a terceira colocação, com 33 pontos e dois jogos a menos do que o líder e vice Atlético-MG e Palmeiras (17 a 19). O Galo segue tranquilo na liderança com 42 pontos, sete a mais do que o Verdão. O time mineiro é o único que soma 13 vitórias. Palmeiras e Flamengo vem na sequência com 11 triunfos, cada.

Mas as equipes que tiveram o melhor desempenho na 20ª rodada foram o Cuiabá e o Inter. Os dois clubes subiram três posições na tabela. O time mato-grossense bateu o Juventude por 2 a 1, em Caxias do Sul, e chegou ao quarto jogo invicto. Com 27 pontos, o Dourado está a dois do G-6. O Corinthians é o sexto colocado, com 29 pontos.

O Inter encerrou a 20ª rodada nesta segunda (13) com vitória ao bater o Sport por 1 a 0, na Ilha do Retiro. O Inter é o nono colocado com 26 pontos. O Colorado aplicou a Lei do Ex no gol solitário de Patrick. É o quarto tento do volante contra o ex-clube, desde que deixou o Leão há quatro anos. Patrick quebrou um jejum de 21 partidas sem marcar gols. Foi o primeiro dele neste Brasileirão.

Briga pelo título brasileiro: Atlético-MG com maior vantagem, Flamengo com dois jogos a menos e mais; veja

Comentários

Inter e Cuiabá tiveram o melhor desempenho na 1ª rodada do 2º turno do Brasileirão

COMENTÁRIOS

Use a Conta do Facebook para adicionar um comentário no Facebook Termos de usoe Politica de Privacidade. Seu nome no Facebook, foto e outras informações que você tornou públicas no Facebook aparecerão em seu cometário e poderão ser usadas em uma das plataformas da ESPN. Saiba Mais.

O Palmeiras virou presa fácil para o Flamengo

Carlos Sartori
Carlos Sartori

O Palmeiras de Abel Ferreira é pior do que o time do Flamengo seja lá qual técnico estiver no comando. Perdeu por 1 a 0 no primeiro turno no Maracanã, quando Rogério Ceni era o treinador, com o Rubro-negro desfalcado, gol de Pedro. Neste domingo (12), tomou de 3 a 1, e de virada, em casa, com Renato Gaúcho sendo mais inteligente e o time repleto de desfalques: Gabigol, Bruno Henrique, Filipe Luís, Diego Ribas e ainda perdeu Arrascaeta machucado com apenas 21 minutos. O uruguaio era o cerebral da partida. Vitinho foi o substituto e quase virou o jogo nos minutos finais do primeiro tempo. Mas quem mandou no clássico foi o atacante Michael com dois gols.

Michael comemora terceiro gol do jogo, o segundo dele
Michael comemora terceiro gol do jogo, o segundo dele Marcelo Cortes / Flamengo


Virou balela dizer que o elenco do Palmeiras é forte e com várias opções. Fez 1 a 0 na única jogada que costuma dar certo: o contra-ataque. É muito pouco para um time que busca o título. Wesley é um ótimo atacante e driblou com categoria o chileno Isla após passe do garçom Dudu. Um golaço! Os dois atacantes têm qualidade e merecem ser os titulares desse time irregular.

Mas se deixar o meia Everton Ribeiro jogar, um abraço. E foi dos pés dele que saiu um cruzamento para o ainda criticado Michael empatar o jogo de cabeça. Falha de marcação juvenil do Palmeiras no lado do campo, com Everton livre, e dentro da área com Michael entrando do jeito que quis. Foi um primeiro tempo bom e a expectativa para a segunda etapa prometia.

Gustavo Scarpa entrou no lugar de Raphael Veiga. Inacreditável como o Palmeiras sofre contra o Flamengo. Era o tipo de duelo para o Verdão se impor em casa e encerrar o jejum incômodo de oito jogos sem vencer contra um Rubro-negro sem os principais atletas. Mas foi o time carioca que mudou o placar e virou o jogo em outra bola aérea. Vitinho bateu escanteio e Pedro subiu entre quatro palmeirenses. Ele ganhou para fazer 2 a 1. Outro erro de posicionamento do time verde dentro na área. Era tudo o que Renato queria para recuar o time e ganhar o contra-ataque.

Minutos depois, Abel Ferreira fez o que não devia. Trocou três jogadores de uma vez e tirou Wesley, o seu melhor atacante para a entrada de Breno Lopes. Luiz Adriano e Patrick de Paula substituíram Rony e Danilo. Renato Gaúcho preservou Everton Ribeiro que atuou pela seleção e colocou Thiago Maia para reforçar a marcação e ajudar na criatividade. Curioso ver o Flamengo se defendendo em campo. Um time acostumado a dar espetáculos. Afinal, era um clássico.

O jogo de xadrez seguiu entre os técnicos. Abel sacou o uruguaio Piquerez que atuou como ala e lateral pelo lado esquerdo e colocou o atacante Willian. Renato sacou Isla, Pedro e Andreas Pereira para as entradas de João Gomez, Matheuzinho e Rodinei. O Flamengo melhorou.

No terceiro gol, o Flamengo voltou a ser Flamengo e saiu do seu campo tocando a bola. O cara do jogo, o atacante Michael, recebeu um bom passe de Vitinho, driblou Marcos Rocha com categoria e encheu o pé para fechar o placar: 3 a 1. O Rubro-negro é o time com mais vitórias de viradas na história do Brasileirão por pontos corridos (48).

O novo terceiro colocado do Brasileirão com um ponto a menos (34 a 35) do que o vice-líder Palmeiras e números de jogos (17 a 19). Agora, são nove duelos sem perder para o time paulista. A última vitória do Palmeiras foi em 2017, desde então, cinco triunfos do Flamengo e quatro empates. O time carioca fez 17 gols, contra sete do paulista. Um vareio!

O Flamengo comandado por Renato Gaúcho tem sido o terror dos clubes paulistas. Em quatro jogos, quatro vitórias: 5 x 1 São Paulo (casa), 3 x 1 Corinthians (fora), 4 x 0 Santos (fora) e 3 x 1 Palmeiras (fora). Marcou 15 gols e só levou três.

No caso do Palmeiras, pior do que perder sem poder de reação, em casa, é ver um jogador ser expulso por uma falta desleal como a de Zé Rafael em Willian Arão nos acréscimos. Mostra o descontrole de um time, que mesmo com quase duas semanas para treinar, não evoluiu em nada.

Com o que está jogando, o Verdão será apenas coadjuvante na luta pelo título, cada vez mais próximo do Galo e do Flamengo.

 Brasileiro: Flamengo vence Palmeiras com show de Michael no Allianz Parque; VEJA os gols!

Comentários

O Palmeiras virou presa fácil para o Flamengo

COMENTÁRIOS

Use a Conta do Facebook para adicionar um comentário no Facebook Termos de usoe Politica de Privacidade. Seu nome no Facebook, foto e outras informações que você tornou públicas no Facebook aparecerão em seu cometário e poderão ser usadas em uma das plataformas da ESPN. Saiba Mais.

Palmeiras x Flamengo e Fortaleza x Atlético-MG: Dois jogos de tirar o fôlego no Brasileirão com briga quente no G-4

Carlos Sartori
Carlos Sartori

Serão 10 jogos entre sábado (4), domingo (5) e segunda (1) pelo começo do segundo turno do Campeonato Brasileiro, mas só dois deles interessam de fato: Palmeiras x Flamengo e Fortaleza x Atlético-MG.  Os três melhores times do país brigando pelo melhor posicionamento no G-4. A única certeza dessa rodada é que o Galo continuará líder mesmo derrotado. Com 39 pontos, ninguém alcança o primeiro colocado. Quem poderá estragar a festa de Fortaleza e Flamengo é o Bragantino, o quarto na tabela. O time de Bragança Paulista enfrentará o pior time do campeonato, o lanterna Chapecoense sem nenhuma vitória em 19 jogos.

O Fortaleza segue na terceira posição com 33 pontos, mas não vence há quatro jogos: três empates e uma derrota. O Leão ainda assimila a goleada histórica que sofreu do Bahia por 4 a 0 com quatro gols do colombiano Rodallega. Contra o líder Galo, corre sério risco de sair do G-4 com Bragantino e Flamengo na cola. Mesmo jogando em casa, vejo o Tricolor como presa fácil para o Atlético-MG, invicto há onze jogos.

O duelo entre Palmeiras e Flamengo chama atenção pelo domínio das equipes nos dois últimos anos. Ambos venceram a Libertadores, em 2020 e 2021, o Verdão foi campeão da Copa do Brasil no ano passado, e o Rubro-negro bicampeão brasileiro, em 2019 e 2020. O Flamengo foi campeão da Supercopa do Brasil 2021 contra o Palmeiras na decisão por penalidades.

Muito se falou quem era o melhor time do Brasil, o melhor elenco. Eu considero o atual time do Flamengo nota 9. O Palmeiras, apenas 7. O Verdão tem sido freguês do Rubro-negro nos últimos encontros. No primeiro turno, ainda sob o comando de Rogério Ceni, o time carioca venceu o paulista por 1 a 0 no Maracanã. Gol de Pedro.

Pedro comemora gol solitário na vitória sobre o Verdão por 1 a 0
Pedro comemora gol solitário na vitória sobre o Verdão por 1 a 0 Alexandre Vidal / Flamengo


Nos últimos dez jogos, foram quatro vitórias do Flamengo, apenas uma do Palmeiras e cinco empates. Nove desses duelos foram pelo Brasileirão. Na decisão da Supercopa do Brasil deu Flamengo nos pênaltis (6 a 5) após empate em 2 a 2. Nesses confrontos, o time carioca fez 16 gols, o paulista 10.

No geral, o domínio é palmeirense em 100 jogos na história: 37 vitórias do Palmeiras contra 34 do Flamengo e 29 empates. O Verdão também fez mais gols (153 a 147). Pelo Brasileirão, a vantagem ainda é paulista. Em 64 jogos, 22 triunfos do Palmeiras, 20 do Flamengo e 22 empates.

Em quinto na tabela com 31 pontos e dois jogos a menos do que o Palmeiras (16 a 18), o Flamengo tem o melhor ataque do campeonato com 32 gols. O Verdão está na segunda posição com 35 pontos. Tem o segundo melhor ataque com 29 gols, ao lado do Fortaleza e Bragantino, e uma vitória a mais do que o Flamengo (11 a 10). Só o líder Galo soma 12 vitórias. Flamengo e Palmeiras sofreram cinco derrotas cada. Os times que mais perderam entre os cinco primeiros colocados.

Duelo imprevisível para fazer uma aposta. O Palmeiras joga em casa e teve menos jogadores convocados para as eliminatórias do que o Flamengo (3 a 4). As duas equipes tiveram quase duas semanas para treinar. No Palmeiras, equipe completa. Do lado do Flamengo, o lateral Filipe Luís com uma lesão na panturrilha esquerda está fora. Renê titular imediato, também tem problema. O atacante Bruno Henrique também desfalca o time. O artilheiro ainda se recupera de uma lesão muscular na coxa direita. O capitão Diego Ribas sentiu dores na panturrilha direita após o último treino e o exame constatou um edema no local. O camisa 10 está sem condições de jogo. 

O time comandado por Renato Gaúcho tem sido implacável contra os adversários, a equipe de Abel Ferreira, o segundo técnico mais longevo na Série A, com altos e baixos tem sofrido mais. Desde que chegou ao Palmeiras, Abel Ferreira só não venceu dois clubes: Atlético e Flamengo. Empate seria um bom resultado, mas os dois times podem vencer e com certeza em um duelo de muitos gols!

  Os 10 gols mais bonitos de David Luiz na Europa

Comentários

Palmeiras x Flamengo e Fortaleza x Atlético-MG: Dois jogos de tirar o fôlego no Brasileirão com briga quente no G-4

COMENTÁRIOS

Use a Conta do Facebook para adicionar um comentário no Facebook Termos de usoe Politica de Privacidade. Seu nome no Facebook, foto e outras informações que você tornou públicas no Facebook aparecerão em seu cometário e poderão ser usadas em uma das plataformas da ESPN. Saiba Mais.

Não podemos exigir de Tite o que ele não pode dar. Mas ele pode fazer mais

Carlos Sartori
Carlos Sartori

Tite é um cara  convicto, e esta é a melhor qualidade do treinador da seleção brasileira. Por isso, ele faz história nas eliminatórias e tem um aproveitamento superior a vários outros treinadores que comandaram o Brasil. Conquistar oito vitórias em oito jogos e marcar 19 gols é para aplaudir. 

Por outro lado, esta convicção custou a única derrota na Copa do Mundo de 2018, na Rússia, a para a Bélgica por 2 a 1 e a eliminação já nas quartas de final. Com Tite, o Brasil perdeu apenas duas vezes desde que assumiu em 2016 e com alto índice de aprovação. A outra derrota também foi em um jogo decisivo, contra a Argentina na final da Copa América. Em 38 jogos, foram 30 vitórias e seis empates. 82 gols marcados e 13 sofridos. 84,2% de aproveitamento. Números impressionantes, sem dúvida.

Tite diz o que seleção brasileira precisa fazer para chegar em alta na Copa do Mundo; assista

Deve ser difícil ser técnico da seleção brasileira. Por mais que Tite faça a melhor campanha na história das eliminatórias, as suas escolhas são sempre criticadas. O brasileiro quer espetáculo e não se contenta apenas com resultado positivo. E não espere show da equipe de Tite. Não vai ter. Os jogadores seguem à risca o que é pedido por ele. Gabigol na seleção é diferente do atacante do Flamengo, mesmo que o jogador insista em dizer que faz a mesma função nas duas equipes. 

De positivo, nos jogos contra Chile (1 a 0) e Peru (2 a 0), foi ver Tite escalar alguns jogadores que atual ou já atuaram juntos no Flamengo, o melhor time do Brasil. Mesmo sem entrosamento, Gerson, Everton Ribeiro, Lucas Paquetá e Gabigol deram um pouco de brilho na seleção. Gerson e Everton Ribeiro devem seguir como titulares. Seria o caminho natural. O próprio Tite declarou que não está feliz com o desempenho do ataque e o meio-campo. Ele quer que o time crie mais. Por outro lado, a defesa é o seu ponto forte. A seleção tem o melhor setor defensivo da competição com apenas dois gols sofridos e não é vazada há 15 jogos. Sem o zagueiro titular Marquinhos, suspenso pelo segundo cartão amarelo, e Thiago Silva, Éder Militão e Lucas Veríssimo deram conta do recado. 

Os 11 titulares de Tite não são unanimidades e nunca serão. Talvez, só Neymar seja. Esse é um jogador fora de série. Ele carrega o time nas costas. É o artilheiro e o garçom. O verdadeiro camisa 10, mas poderia encantar mais em campo. Contra o Peru, estava muito recuado e foi displicente ao tomar um cartão amarelo desnecessário.

Mas a questão principal não é quem joga em cada posição, e sim o jeito da equipe jogar. Quantas vezes você viu a seleção de Tite atuar bonito? Ou qual foi a partida que você mais gostou? Difícil de lembrar. 

O desabafo de Neymar após a vitória do Brasil: 'Isso é de vocês repórteres, comentaristas e outros'; assista

Chega a ser até desleal cobrar tanto o desempenho da seleção de Tite com o pouco tempo que ele tem para treinar. Não é fácil. A estratégia dele é boa em manter sempre os seus 11 prediletos. Se for embarcar na onda da torcida, que pede novos jogadores a cada boa rodada do Brasileirão, está perdido. 

Tite gosta de números e sua equipe analisa o rendimento para escalar os seus jogadores. O veto da convocação de atletas que atuam no futebol inglês e russo acabou sendo positivo. Na adversidade, Tite conseguiu olhar novos jogadores e abrir novos leques. 

No dia 17 de setembro, ele fará uma nova convocação para  os três jogos das eliminatórias em outubro (contra Venezuela, Colômbia e Uruguai). Com certeza, tudo voltará ao normal. O convicto treinador chamará os jogadores que fazem parte do seu projeto. 

Porém, no primeiro confronto contra a Venezuela, no dia 7, Tite não terá Neymar, suspenso pelo segundo cartão amarelo. Ainda bem que será um jogo contra o pior time da competição. Oportunidade para Tite testar alguém na posição do único jogador que tem cadeira cativa na seleção. Se com o genial camisa 10, o time não tem empolgado, imagina sem o craque?

Mas verdade seja dita, a excelente campanha nas eliminatórias para a Copa do Mundo no Catar não é parâmetro para Tite buscar o seu primeiro título mundial. Desde 2016, ele nunca foi derrotado na competição. Em 20 jogos, foram 18 vitórias e dois empates. 49 gols marcados e apenas cinco sofridos. 90% de aproveitamento. Vencer seleções sul-americanas como Peru e Chile com alguma dificuldade e sem encantar chega a assustar. Fico pensando quando encarar as fortes seleções da Europa que mostraram evolução nos últimos anos. 

Tite é bom de resultado, mas precisa de um pouco mais de ousadia no futebol apresentado. Buscar novos caminhos, apostar em jogadores mais talentosos e que saibam decidir. Sei que não podemos exigir espetáculo ou show com Tite, mas chegou a hora deste time sob seu comando mostrar mais valor. 

Tite fará nova convocação no dia 17 de setembro
Tite fará nova convocação no dia 17 de setembro Lucas Figueiredo / CBF

Comentários

Não podemos exigir de Tite o que ele não pode dar. Mas ele pode fazer mais

COMENTÁRIOS

Use a Conta do Facebook para adicionar um comentário no Facebook Termos de usoe Politica de Privacidade. Seu nome no Facebook, foto e outras informações que você tornou públicas no Facebook aparecerão em seu cometário e poderão ser usadas em uma das plataformas da ESPN. Saiba Mais.

O choro emocionante de Messi em noite 10

Carlos Sartori
Carlos Sartori

Lionel Messi chorou de emoção ao levantar novamente a taça de campeão da Copa América conquistada contra o Brasil. O primeiro título do maior jogador da atualidade com a camisa da Argentina. O motivo era mais do que especial. O genial camisa 10 estava em solo argentino, a sua pátria, e com pouco mais de 20 mil torcedores. Foi uma noite mágica no estádio Monumental de Nuñez, em Buenos Aires. 

Antes desse momento, o craque teve uma atuação de gala e fez os três gols da vitória por 3 a 0 sobre a Bolívia. O primeiro foi um golaço, de gênio, digno de Rei do futebol na atualidade. O camisa 10 deu um drible desconcertante entre as pernas de Hachín e, com categoria, colocou com carinho a bola na gaveta de Lampe. Foi a sétima partida em que Messi fez três gols pela seleção argentina. O Brasil foi uma das vítimas na derrota por 4 a 3, em 2012.

Messi dá show em Buenos Aires
Messi dá show em Buenos Aires Twitter @Argentina

Em um só jogo, e com um hat-trick, Messi escreveu novos recordes em sua maravilhosa carreira. Ultrapassou Pelé, o eterno Rei, como o maior goleador por seleções sul-americanas. Chegou aos 79 gols, Pelé tem 77. Vale lembrar que o 'Rei do Futebol' anotou 77 vezes em 92 partidas (média de 0,83 gol/jogo), enquanto Messi fez 79 tentos em 154 duelos (média de 0,51 gol/jogo). 

Messi já tinha superado o recorde mundial do gênio brasileiro em gols oficiais por um único clube: 672 pelo Barcelona contra 642 de Pelé no Santos. Além disso, o argentino igualou o uruguaio Luis Suárez com 25 gols. Eles são os maiores artilheiros sul-americanos em eliminatórias. O camisa 10 argentino só fica atrás de Cristiano Ronaldo em números de gols por seleções nacionais (111 a 79). 

Emocionado e mais maduro, Lionel Messi falou sobre o 9 de setembro inesquecível que teve em Buenos Aires. A declaração foi publicada pela seleção argentina nas redes sociais.

"É um momento único pela maneira como se deu, depois de esperar tanto. Não havia melhor maneira de poder celebrar do que estar aqui. Minha mãe está aqui, meus irmãos estão na tribuna. Eles sofreram muito e hoje estão comemorando. Estou muito feliz", disse Messi.

E, claro, que em um dia tão especial, outro craque camisa 10 não poderia ser esquecido. Aos 10 minutos de jogo, três minutos antes de Messi marcar um golaço, a torcida reverenciou Diego Armando Maradona. Nada mais justo. A sorte dos argentinos é que Lionel Messi é da mesma linhagem de Maradona. Para eles, os dois são melhores do que Pelé. 

O golaço de Messi que 'desmontou' boliviano e arrancou até careta de treinador da Argentina; assista

Comentários

O choro emocionante de Messi em noite 10

COMENTÁRIOS

Use a Conta do Facebook para adicionar um comentário no Facebook Termos de usoe Politica de Privacidade. Seu nome no Facebook, foto e outras informações que você tornou públicas no Facebook aparecerão em seu cometário e poderão ser usadas em uma das plataformas da ESPN. Saiba Mais.

Com recordes, Neymar e Everton Ribeiro comandam 8ª vitória seguida da seleção nas eliminatórias!

Carlos Sartori
Carlos Sartori

Neymar fez história na vitória da seleção brasileira sobre o Peru por 2 a 0, nesta quinta-feira (9), na Arena Pernambucano. O craque deu assistência para Everton Ribeiro abrir o placar e fez o segundo, o sexto na competição. Ele está a dois do boliviano Marcelo Moreno, artilheiro isolado, com oito bolas nas redes. O 69º gol do camisa 10 pela seleção. Além de se tornar o maior artilheiro do Brasil na história das eliminatórias, com 12 gols, passou Romário e Zico, ambos com 11, é o maior carrasco nos confrontos contra o Peru, com seis gols, quatro foram marcados nessa edição das eliminatórias. Ele fez três na goleada por 4 a 2 no duelo de ida. O Brasil não teve dificuldades na partida e precisou de apenas 45 minutos para bater o Peru. O segundo tempo deu para cochilar na frente da televisão.

A oitava vitória consecutiva da seleção de Tite nas eliminatórias para a Copa do Mundo do Catar, passou pelas boas atuações de Neymar e Everton Ribeiro. Os dois têm encaixado bem no esquema. No primeiro gol, aos 13 minutos do primeiro tempo, Neymar iniciou jogada faltosa no defensor Santamaria, mas o árbitro de campo e de vídeo mandaram seguir, o camisa 10 fez o passe para Gabigol, mas a bola passou e chegou em Everton Ribeiro. 1 a 0 Brasil. O terceiro gol do meia na seleção de Tite, o segundo nas eliminatórias. O camisa 11 tinha feito o gol da vitória contra o Chile, em Santiago, por 1 a 0. No segundo gol, aos 39 minutos, Gabigol finalizou, Everton Ribeiro aproveitou a sobra e no desvio da defesa peruana, Neymar mandou para o fundo das redes. 2 a 0.

Neymar ficou até o final da partida. Everton Ribeiro foi sacado aos 17 minutos do segundo tempo. O camisa 11 está cada vez mais solto com a camisa da seleção. Ele se movimentou bem na partida e estava presente nos principais lances de perigo. Assim como o volante Gerson. O camisa 18 teve a chance de abrir o placar em chute forte, mas parou na boa defesa do goleiro Gallese. Gerson saiu aos 38 minutos para a a estreia do volante do Inter na seleção, Edenílson, artilheiro do Brasileirão, com oito gols. Casemiro que não tomava cartão amarelo há 11 jogos, com a camisa da seleção, foi sacado do time para a entrada de Bruno Guimarães. Tite preservou o capitão e colocou um campeão olímpico. O veterano Daniel Alves assumiu a braçadeira de Casemiro. Ele entrou no lugar de Danilo que também foi destaque na partida.  Gabigol passou em branco novamente, mas lutou muito. Ele foi sacado nos minutos finais para a entrada de Hulk. O atacante voltou à seleção após cinco anos, mas entrar faltando sete minutos para encerrar a partida chega a ser até falta de respeito com o jogador. Merecia mais tempo por tudo o que tem feito no Atlético-MG.

O Brasil comandado por Tite segue soberano nas eliminatórias com 100% de aproveitamento. Oito jogos, oito vitórias, 24 pontos, melhor ataque com 19 gols e defesa menos vazada com apenas dois sofridos. O nono jogo seguido como mandante sem sofrer gols. Saldo de 17 gols positivos. A seleção sob o comando de Tite não perdeu em 20 jogos em eliminatórias de 2016 a 2021. São 18 vitórias e apenas dois empates. 49 gols marcados e apenas cinco sofridos. Não leva gol em 15 jogos. 90% de aproveitamento. Números absurdos.

A seleção só jogará novamente em outubro. Serão três jogos pelas eliminatórias. Neymar estará fora contra a Venezuela no dia 7. O craque estava pendurado e tomou um cartão amarelo desnecessário. Mas sempre é bom ressaltar que o atacante foi caçado em campo. Ele é o segundo jogador com mais faltas sofridas na competição (27). Por outro lado, provocou 11 amarelos nos rivais.  Após o jogo, Neymar falou sobre os recordes alcançados e mandou um recado para os críticos.

"Fico muito contente de ser goleador máximo de eliminatórias, maior assistente pela seleção e logo menos, se tudo caminhar bem, vai ser uma honra passar o Pelé. Não sei mais o que eu faço para a galera respeitar. Isso é normal, vem há muito tempo. Repórteres, comentaristas, outros também. Às vezes eu nem gosto mais de falar em entrevista, mas em momento importante eu venho aparecer. Todos os tipos (de desrespeito). Deixo para a galera pensar um pouco", desabafou o camisa 10.

A próxima convocação de Tite será no dia 17 de setembro. Os jogadores que atuam na Inglaterra estão liberados. Será que a cabeça de Tite mudou com as atuações de Everton Ribeiro e Gerson? Tomara que sim!



Comentários

Com recordes, Neymar e Everton Ribeiro comandam 8ª vitória seguida da seleção nas eliminatórias!

COMENTÁRIOS

Use a Conta do Facebook para adicionar um comentário no Facebook Termos de usoe Politica de Privacidade. Seu nome no Facebook, foto e outras informações que você tornou públicas no Facebook aparecerão em seu cometário e poderão ser usadas em uma das plataformas da ESPN. Saiba Mais.

Marcelo Cabo, Lisca e agora Fernando Diniz. O Vasco está perdido!

Carlos Sartori
Carlos Sartori

O Vasco é gigante e merecia técnicos melhores por sua história. O que Marcelo Cabo, Lisca e Fernando Diniz têm em comum? Respondo: a falta de títulos relevantes para comandar um time de tradição. O time de São Januário está à deriva, completamente perdido e sem rumo para brilhar em um futuro próximo. Falta critério para quem contrata no clube carioca. Sugiro que eles leiam os comentários dos torcedores nas redes sociais sobre a escolha.

Lisca Doido e o polêmico professor pardal Fernando Diniz são casos mais difíceis de se explicar. Marcelo Cabo até fez sentido por ter conquistado um título de Série B com o Atlético-GO, em 2016. Seria um caminho natural por conhecer o tipo de torneio na segunda divisão. 


Fernando Diniz é o novo técnico do Vasco
Fernando Diniz é o novo técnico do Vasco Mauro Horita / Gazeta Press


Ainda acho que o Vasco deveria ter trazido algum treinador identificado com o clube, por exemplo, um ex-jogador. Um cara respeitado por torcedores e jogadores. Ou um medalhão com experiência em gerenciamento de crise. O Vasco precisa de alguém que resolva já. Diniz não é esse cara. 

Dos quatro últimos clubes comandados por Fernando Diniz, foi no São Paulo que ele teve o melhor aproveitamento (54,67%), mas entregou de bandeja o título do Brasileirão. O tricolor virou o fio. No Santos, atingiu 45%. Comandando o Athletico-PR, 34%. E no Fluminense, o pior aproveitamento com apenas 26%. 

Fernando Diniz vai chegar no time carioca com a fama de ser um treinador que joga pesado com os jogadores. A polêmica com Tchê Tchê ainda reverbera. Qualquer ruído com qualquer atleta, terá confusão. Ainda bem que ele é formado em psicologia.  Torço pelo sucesso do técnico, mas esse não era o melhor caminho para o Gigante da Colina

 Lisca manda recado aos torcedores do Vasco após saída: 'Tentamos de todas as maneiras, mas os resultados não vieram'

Comentários

Marcelo Cabo, Lisca e agora Fernando Diniz. O Vasco está perdido!

COMENTÁRIOS

Use a Conta do Facebook para adicionar um comentário no Facebook Termos de usoe Politica de Privacidade. Seu nome no Facebook, foto e outras informações que você tornou públicas no Facebook aparecerão em seu cometário e poderão ser usadas em uma das plataformas da ESPN. Saiba Mais.

Dia de goleada? Peru vai mal das pernas e nunca venceu o Brasil em eliminatórias!

Carlos Sartori
Carlos Sartori

Sétimo colocado nas eliminatórias para a Copa do Mundo Catar 2022, o Peru visita a seleção brasileira na noite desta quinta-feira (9,)  na Arena Pernambuco. O time comandado pelo ótimo treinador argentino Ricardo Gareca, conhecido dos brasileiros por ter treinado o Palmeiras, vem de vitória contra a Venezuela por 1 a 0, gol de Cueva, em Lima. O primeiro triunfo peruano em casa na competição. Antes, empataram contra o Uruguai de Arrascaeta em 1 a 1 com belos gols. O duelo contra o Brasil será o 13º pelas eliminatórias com um tabu. O Peru nunca venceu, foram oito vitórias brasileiras e quatro empates. Será o 50º confronto entre as duas seleções. O time peruano triunfou apenas cinco vezes, com 35 vitórias brasileiras.

Apesar dos números positivos do selecionado brasileiro, a equipe de Tite não tem mostrado um bom futebol e precisa tomar cuidado. Tipo de jogo que não pode vacilar. Vencer em casa é mais do que obrigação. Nesse momento, o Peru estaria eliminado do Mundial no Catar com apenas oito pontos em sete jogos. Foram duas vitórias, dois empates e quatro derrotas. O Peru levou mais gols do que fez: 15 a 8. Saldo negativo de sete bolas nas redes.

Brasil e Peru duelam pela 10ª rodadas das eliminatórias
Brasil e Peru duelam pela 10ª rodadas das eliminatórias Lucas Figueiredo / CBF

A diferença entre as duas seleções na tabela é gritante. Com 21 pontos e 100% de aproveitamento, o Brasil soma 13 pontos a mais. Além disso, a seleção brasileira tem o melhor ataque da competição com 17 gols, o Equador é o segundo com 16. E ainda, tem a defesa menos vazada com apenas dois gols sofridos. A Argentina é a segunda melhor com seis bolas nas redes.

Só nesse ano, as duas equipes já se enfrentaram em duas oportunidades, pela fase de grupos e pela semifinal da Copa América 2021. Em ambas, o Brasil venceu: 4 a 0 e 1 a 0. Esta será, aliás, a primeira partida "de volta" da Seleção Brasileira nestas Eliminatórias. Na ida, o Brasil derrotou o Peru por 4 a 2 em Lima. 

Diferentemente do Brasil, a seleção do Peru não tem estrelas. O técnico Gareca sempre aponta o coletivo da equipe como ponto forte de superação. O setor defensivo da seleção peruana é fraco, o segundo mais vazado da competição com 15 gols sofridos, ao lado da Colômbia. Só fica atrás da Venezuela, a lanterna das eliminatórias, com 19 bolas nas redes.

Chegou a hora da seleção de Tite mostrar o poder de fogo do melhor ataque da competição e quem sabe golear. Ele teve tempo de treino suficiente para mudar a filosofia do time que ultimamente tem sofrido em campo. Hoje será um bom dia para Neymar fazer gols com Gabigol ao seu lado. O treinador tem um leque de opções com Hulk e Matheus Cunha, mas só de ouvir a entrevista antes do jogo já fiquei preocupado. O velho discurso de sempre, o de que terá um jogo difícil pela frente. Com esses pensamentos, Tite só atrai performance ruim. Uma pena que seja assim!

 Tite confirma escalação do Brasil para duelo com o Peru; VEJA 

 

 

 

Comentários

Dia de goleada? Peru vai mal das pernas e nunca venceu o Brasil em eliminatórias!

COMENTÁRIOS

Use a Conta do Facebook para adicionar um comentário no Facebook Termos de usoe Politica de Privacidade. Seu nome no Facebook, foto e outras informações que você tornou públicas no Facebook aparecerão em seu cometário e poderão ser usadas em uma das plataformas da ESPN. Saiba Mais.

Ídolo do Corinthians, Marcelinho Carioca aprova estreia de Róger Guedes e aponta motivo da escassez de gols de falta no Brasileirão

Carlos Sartori
Carlos Sartori

Ainda fora de ritmo, por ter disputado a última partida há oito meses na China, a estreia de Róger Guedes com a camisa 123 do Corinthians não foi das melhores no empate contra o Juventude em 1 a 1, em Itaquera (confira aqui). Mas o golaço de falta do atacante aos 39 minutos do segundo tempo salvou o time alvinegro de uma derrota. O empate teve sabor de vitória para uma equipe que foi dominada pelo adversário em casa. Se não fosse o goleiro Cássio, com defesas difíceis, o pior poderia ter acontecido.

Róger Guedes marca golaço de falta na estreia
Róger Guedes marca golaço de falta na estreia Rodrigo Coca / Ag. Corinthians



Além do gol, Róger Guedes deu um passe decisivo na estreia, quatro chutes, sendo um a gol, acertou três de quatro dribles, venceu nove dos 16 duelos disputados e sofreu seis faltas. O belo gol de falta do atacante foi o primeiro do Corinthians nesse Brasileirão e o de número 10 de 400 bolas nas redes em 181 jogos no campeonato. Apenas 2,5 gols de falta. Para falar sobre a estreia de Róger Guedes, o golaço do atacante e dessa média baixíssima de gols de falta no campeonato nacional, o Blog do Sartori convocou um dos maiores ídolos do Corinthians com 10 títulos, o craque Marcelinho Carioca.  

Dos 206 gols marcados pelo Pé-de-Anjo, em três passagens pelo clube (1994/1997, 1998/2001 e 2006), 59 foram em cobrança de falta. Especialidade do eterno camisa 7 que vestia a pequena chuteira número 36. Marcelinho disputou 433 partidas pelo Corinthians e é o quinto maior artilheiro da história do clube. Veja o que o ex-camisa 7 do Timão falou na entrevista exclusiva gravada por telefone, nesta quarta-feira (8).

ESTREIA DE RÓGER GUEDES

“Fala, galera, Pé-de-Anjo falando. Um abraço para todos vocês. Fazer essa avaliação do Róger Guedes, depois de um gol de falta, é igual uma criança no dia do aniversário ganhar o melhor presente. Isso não tem preço. Eu, particularmente na minha estreia no dia 23 de janeiro de 1994, fiz um gol de falta contra a Portuguesa. Tive uma sequência no Corinthians maravilhosa. Torço para que o Róger Guedes possa ter essa sequência. Tendo em vista, que se nós fizermos um comparativo, um gol de falta logo na estreia ajuda bastante, dá confiança e tudo mais. O Luan na sua estreia fez um gol de falta na Florida Cup e não teve a mesma sequência. Eu espero que o Róger Guedes possa primeiramente continuar com essa personalidade de poder pegar a bola e dizer `eu vou bater, eu vou cobrar`, e há muito tempo não acontecia um gol de falta. Então, sensacional. Estreia melhor do que essa não tem, não”.

GOLAÇO DE FALTA DO CAMISA 123

"A falta dele foi bem cobrada, muito bem batida, no terceiro, quarto homem da barreira, ela de curva, chapando, uma rosca, a bola fugindo da mão do goleiro, bola rápida, caindo muito rápido. Então, uma cobrança realmente de um grande cobrador de falta. Essa batida foi perfeita".

ESCASSEZ DE GOLS DE FALTA NO BRASILEIRÃO

"Realmente 10 gols de falta no Brasileirão é muito pouco, né? Mas o detalhe é que não tem mais aqueles craques que cada time tinha, o seu camisa 10, ou lateral e zagueiro que cobrava falta. Hoje, você está pedindo pelo amor de Deus para nascer um. Então, a média ela está dentro da expectativa, até mesmo porque faltam talentos, faltam exímios cobradores de falta. Batedor de falta tem uma porção, agora cobrador, alguns. Especialista não tem. E lógico, a repetição leva a perfeição. Os treinamentos ajudam demais, então, o cara que tem uma afinidade em cobranças de falta precisa treinar cada vez mais. O primeiro a chegar e o último a ir embora. Pagar um preço para que possa ter resultado como o Róger Guedes teve na estreia contra o Juventude".

Róger Guedes cobra falta no ângulo e estreia com golaço pelo Corinthians; veja

Comentários

Ídolo do Corinthians, Marcelinho Carioca aprova estreia de Róger Guedes e aponta motivo da escassez de gols de falta no Brasileirão

COMENTÁRIOS

Use a Conta do Facebook para adicionar um comentário no Facebook Termos de usoe Politica de Privacidade. Seu nome no Facebook, foto e outras informações que você tornou públicas no Facebook aparecerão em seu cometário e poderão ser usadas em uma das plataformas da ESPN. Saiba Mais.

No sofrimento, Corinthians arranca empate contra Juventude com golaço do estreante Róger Guedes!

Carlos Sartori
Carlos Sartori

Na estreia do atacante Róger Guedes e com Renato Augusto titular pela primeira vez, o Corinthians sofreu para arrancar um empate contra o Juventude por 1 a 1 na Neo Quimica Arena, na noite do feriado de 7 de setembro. O atacante Ricardo Bueno marcou o gol do time visitante em um belo toque de cabeça na primeira etapa. O terceiro dele em cinco jogos. Cássio não era vazado a 253 minutos e foi um dos destaques com defesas difíceis. Aos 39 minutos do segundo tempo, o estreante Róger Guedes marcou um golaço em cobrança de falta. O primeiro do time de falta nesse Brasileirão. O 10º no geral do campeonato. Pelo que jogou, o empate foi de bom tamanho para o Timão.

Roger Guedes estreia com golaço de falta
Roger Guedes estreia com golaço de falta Peter Leone/Ofotografico/Gazeta Press



No duelo das equipes que cresceram nas últimas rodadas, o Juventude foi melhor no primeiro tempo. O time gaúcho jogou como se tivesse em Caxias do Sul e treinando. Com um bom toque de bola dominou o time paulista que mostrou fragilidade pelo lado esquerdo da defesa. Foi por ali que começou a jogada do gol com o bom lateral Paulo Henrique aos 31 minutos. O Juventude finalizou mais vezes do que o Corinthians (5 a 4). Paulinho Boia perdeu a melhor chance da partida para ampliar. Ele arrancou livre na área e perdeu o tempo da bola quando estava cara a cara com Cássio. O técnico Marquinhos Santos mostrou que o time tem personalidade e é bem treinado. Anulou o Corinthians. Róger Guedes após quase oito meses sem atuar, fez apenas uma boa jogada pela linha de fundo. Renato Augusto bem marcado também não rendeu o que era esperado.

Na segunda etapa, o Juventude seguiu forte na marcação e mandando na partida. O meia Wagner que fazia um bom jogo e dava trabalho para o Corinthians sentiu e foi substituído pelo atacante Marcos Vinicios com menos de 15 minutos de jogo.  Enquanto isso, o time paulista seguia sem conseguir sair jogando. Os dias livres de treinamento não trouxeram novidades no esquema do técnico Sylvinho. Aos 19 minutos, Luan entrou no lugar de Renato Augusto. O camisa 8 cansou. Ele sofreu em campo com dois carrinhos e quando pegava na bola era cercado. Paulinho Boia que dava trabalho à defesa do Corinthians também cansou e saiu de campo para a entrada do atacante Capixaba. Com as mudanças, o Juventude seguiu ofensivo e Castilho, um dos melhores em campo, assustou Cássio em um cruzamento. O aniversariante do dia, Gustavo Mosquito, foi sacado para a entrada do meia Gabriel. Na sequência, a melhor chance do Corinthians no jogo. Fagner cruzou na área e Jô cabeceou. A bola triscou a trave de Marcelo Carné. O time alvinegro acordou e foi para cima do Juventude. E em uma falta perigosa no lado esquerdo da entrada da área em Fábio Santos, o estreante Róger Guedes cobrou com categoria e empatou o jogo aos 39 minutos. Gol do camisa 123. O primeiro gol de falta do Corinthians no Brasileirão 2021. Ducha de água fria no Juventude. O técnico Marquinhos Santos tinha sentido que o pior poderia acontecer e fechado o time com três substituições, mas era tarde. Parecia tarde, aos 46 minutos, Ricardo Bueno subiu na área e acertou o travessão. Por um triz, o atacante não matou o jogo com a segunda bola na rede. Fim de jogo: 1 a 1. 

O Juventude saiu da casa do Corinthians com gosto de derrota. Um ótimo jogo com 64% de bola rolando, acima da média de 60%. O time gaúcho merecia a vitória e o resultado e encerrou a sequência de três vitórias do Corinthians. O Juventude aumentou a invencibilidade no campeonato e não perde há quatro rodadas: uma vitória (Bragantino) e três empates (Fluminense, São Paulo e Corinthians). O time gaúcho segue na 13ª posição com 23 pontos. Se tivesse vencido, pularia para a nona colocação. Mas mostrou uma evolução que aos poucos livra o time da perigosa zona de rebaixamento. Já o Corinthians, manteve a sequência invicta. São cinco jogos sem perder. Róger Guedes salvou o time alvinegro!

Comentários

No sofrimento, Corinthians arranca empate contra Juventude com golaço do estreante Róger Guedes!

COMENTÁRIOS

Use a Conta do Facebook para adicionar um comentário no Facebook Termos de usoe Politica de Privacidade. Seu nome no Facebook, foto e outras informações que você tornou públicas no Facebook aparecerão em seu cometário e poderão ser usadas em uma das plataformas da ESPN. Saiba Mais.

Dia de Corinthians embalado no Brasileirão e com estreia de Róger Guedes!

Carlos Sartori
Carlos Sartori

Cá entre nós, colocar o jogo do Corinthians às 21h30 em um feriado de 7 setembro é uma baita sacanagem com o torcedor. Tipo de jogo bom para assistir reunido com a família depois de um almoço em um momento triste que o país atravessa. Ainda mais com a possiblidade da estreia do atacante Róger Guedes e com o time embalado no Brasileirão. O Timão venceu os últimos três duelos no campeonato e vem de quatro jogos de invencibilidade. Um triunfo nesta terça-feira contra o Juventude, em casa, daria a segunda vitória seguida em Itaquera, pela primeira vez na competição. Uma virada de jogo para um time que jogava um futebol horroroso. 

A vitória é fundamental para o Corinthians não desgarrar dos cinco primeiros colocados (Atlético-MG, Palmeiras, Fortaleza, Red Bull Bragantino e Flamengo). Na sexta posição, com 27 pontos, o time alvinegro está a 12 do líder Galo (39 pontos) e a cinco do quarto colocado, o Bragantino (32). O Flamengo soma 31, em quinto, mas tem dois jogos a menos do que o time paulista nesse momento e ficará três, depois do término da última rodada (19ª) do 1º turno.

A sorte do técnico Sylvinho é que ele teve mais de uma semana, nove dias de tranquilidade, para treinar o time por causa dos jogos da seleção brasileira nas eliminatórias. A última vez que o Corinthians esteve em campo foi no dia 28 de agosto contra o Grêmio, na vitória por 1 a 0, gol de Jô.

Não será fácil o duelo contra o Juventude, que briga para não cair. O time gaúcho não perde há três jogos. Na última rodada, o Juventude empatou em casa com o São Paulo em 1 a 1. Antes, tinha empatado com o Fortaleza também por 1 a 1 e em casa, e batido o Bragantino por 2 a 1, na casa do adversário. Os dois últimos brigam pelo G-4, assim como o Corinthians.

Róger Guedes pronto para estrear no Corinthians
Róger Guedes pronto para estrear no Corinthians Rodrigo Coca / Ag. Corinthians

Nos bastidores, a expectativa é grande pela estreia do atacante Róger Guedes, relacionado pela primeira vez pelo técnico Sylvinho. A torcida também está ansiosa de que o meio-campista Renato Augusto comece a partida como titular. O lateral-direito Fagner está recuperado de uma lesão na panturrilha e reforça o time.

O Corinthians está forte novamente, mas todo cuidado será pouco. No retrospecto do Brasileirão, foram 19 jogos com nove vitórias do Timão, quatro empates e nove triunfos do Juventude. O time gaúcho não vence o Corinthians há seis duelos. Os dois últimos jogos foram disputados pela Série B de 2008. O Corinthians venceu por 2 a 1, em Caxias do Sul, e por 2 a 0 no estádio do Pacaembu. A última vitória do Juventude foi há 16 anos no estádio Alfredo Jaconi. Josiel fez o único gol do triunfo por 1 a 0 no Brasileirão de 2005.

Willian não é relacionado para confronto desta terça-feira no Corinthians e mira estreia contra o Atlético-GO: 'Eu estava treinando separado do grupo no Arsenal'


Embalado com as três vitórias seguidas, aposto em uma vitória do Corinthians contra o Juventude. Plagiando um saudoso e amigo comunicador, o placar será de 1...2...3, o novo número da camisa do ex-palmeirense Róger Guedes.

 

Comentários

Dia de Corinthians embalado no Brasileirão e com estreia de Róger Guedes!

COMENTÁRIOS

Use a Conta do Facebook para adicionar um comentário no Facebook Termos de usoe Politica de Privacidade. Seu nome no Facebook, foto e outras informações que você tornou públicas no Facebook aparecerão em seu cometário e poderão ser usadas em uma das plataformas da ESPN. Saiba Mais.

Argentinos não são santos e ainda zombam dos brasileiros!

Carlos Sartori
Carlos Sartori

O cancelamento do jogo entre Brasil e Argentina mostrou que todos erraram: as entidades máximas do futebol e do governo brasileiro. Tudo poderia ter sido diferente, se a compreensão das eliminatórias não fosse diferente do acordado na Copa América com os protocolos do Brasil. Durante a confusão na hora do jogo, existiam ainda muitas dúvidas do que acontecia e de quem era a responsabilidade do evento: Conmebol ou FIFA? A invasão em campo da Anvisa e Polícia Federal foi digna da nossa bagunça em tempos de pandemia. Quem saiu prejudicado nessa história foi a própria seleção brasileira com mais um 7 a 1 em solo brasileiro. Um vexame transmitido para dezenas de países. Enquanto isso, os homens do futebol na Suíça com os relatórios em mãos informam que tudo será resolvido no seu devido tempo.

 

Como pode quatro jogadores desembarcarem no Brasil sem cumprir o período de quarentena e ainda preencherem o formulário de entrada com informações falsas? Emiliano Martinez, Emiliano Buendia, Giovani Lo Celso e Cristian Romero entraram de forma irregular no país, pois não informaram que estiveram no Reino Unido antes. Os atletas, portanto, deveriam ter cumprido quarentena e não o fizeram.  Eles que atuam no futebol inglês, antes de desembarcarem no Brasil, viajaram direto para a Venezuela no duelo vencido pela Argentina por 3 a 1.

Jogo entre Brasil e Argentina, pelas eliminatórias, foi suspenso
Jogo entre Brasil e Argentina, pelas eliminatórias, foi suspenso EFE/Sebastião Moreira


Os quatro espertinhos com certeza vão alegar que não foram eles os culpados, e sim, alguém da AFA, a Federação Argentina de Futebol. Eles não são santinhos. Imagine, caro leitor, se isso acontecesse com você em qualquer país do mundo? Deportação automática, sem conversa.


Os argentinos? Oras, esses saíram de fininho e ainda por cima da carne seca. Se fosse em um país sério, os quatro jogadores da seleção Argentina seriam presos por não cumprirem o protocolo de quarentena obrigatório no Brasil. Eles pisaram na bola com sucessivos erros e aproveitaram para driblar os nossos incompetentes órgãos que deveriam ser mais sérios. A várzea que virou o estádio do Corinthians, chegou ao cúmulo de jogadores de futebol discutirem com agentes da vigilância sanitária como se dessem ordens. O que entendem esses atletas do assunto?


A imprensa argentina detonou o Brasil insinuando armação contra eles. Do lado brasileiro, a Anvisa se defendeu alegando que tentou isolar em quarentena os jogadores um dia antes do jogo. Informou ainda, que houve uma reunião no sábado no hotel da Argentina e o descumprimento da exigência de quarentena quando chegaram ao país. Os argentinos sabiam de tudo e também foram alertados, segundo a CBF, no dia 2 de setembro, sobre as restrições sanitárias no Brasil. Por outro lado, a CBF pisou na bola ao criticar a Anvisa e colocar o futebol acima de tudo. A famosa passada de pano para realizar o jogo a qualquer custo. É lógico que existem questões mais importantes por trás disso do que saúde: dinheiro.


E nessa triste história, tivemos ainda que ouvir o ousado goleiro Emiliano Martinez, um dos quatro “malandros” argentinos falar em uma entrevista para o TyC Sports que não entendeu o que aconteceu.


"É algo que nunca se viu no futebol. É uma pena a nível sul-americano. Um jogo tão grande a nível mundial que está suspenso por essas coisas, não dá para entender", revelou o Emiliano.


Como não se bastasse, o campeão da Copa América deu uma de desentendido, apesar dos avisos da Anvisa que buscou a todo tempo os dirigentes argentinos em solo brasileiro, e provocou a seleção brasileira.


"Corriam boatos de que os jogadores da Premier League não podiam jogar, mas poderiam ter nos avisado quando chegássemos ao Brasil. Era simples, obviamente é uma pena, a gente ia ganhar, estávamos confiantes, a equipe estava bem", disse o “irônico” argentino.


É por essas e outras, que a rivalidade cada vez mais aumenta. Os menos de cinco minutos de jogo mostraram que seria um duelo nervoso entre as duas seleções. O clima estava tenso por causa da revanche da Copa América. Eu percebi que o jogo não acabaria bem, mas não da forma mais absurda possível.

 

Comentários

Argentinos não são santos e ainda zombam dos brasileiros!

COMENTÁRIOS

Use a Conta do Facebook para adicionar um comentário no Facebook Termos de usoe Politica de Privacidade. Seu nome no Facebook, foto e outras informações que você tornou públicas no Facebook aparecerão em seu cometário e poderão ser usadas em uma das plataformas da ESPN. Saiba Mais.

Colombiano nota 10: Noite matadora de Rodallega na goleada do Bahia sobre o Fortaleza!

Carlos Sartori
Carlos Sartori

No duelo dos tricolores nordestinos e dos técnicos argentinos quem brilhou foi o colombiano Hugo Rodallega! No primeiro jogo do atacante como titular, e sem o artilheiro do campeonato Gilberto suspenso, ele marcou os quatro gols da goleada do Bahia sobre o Fortaleza por 4 a 2, nesta noite de sábado (4), em Salvador, no estádio Pituaçu. O meia Rodriguinho ainda perdeu uma penalidade.

De quebra, o tricolor baiano encerrou o jejum de oito jogos sem vencer (sete derrotas e um empate). Por coincidência, no último duelo no Brasileirão 2020, disputado este ano, o Bahia também havia goleado o Fortaleza por 4 a 0, e  no Castelão, a casa do adversário. O show foi do camisa 10 Rodriguinho com três gols.


Rodallega vibra com noite mágica na Bahia
Rodallega vibra com noite mágica na Bahia Felipe Oliveira/ Divulgação/ EC Bahia


Em apenas um jogo, Rodallega já entrou para a história do Bahia como o único jogador a marcar quatro gols em uma partida pela Série A do Brasileirão. Como dizem por aí, o colombiano mitou! 

O primeiro dele saiu após um passe açucarado de Rossi aos 42 minutos do primeiro tempo. Na segunda etapa, o colombiano ganhou um presente em falha feia do goleiro Boeck. O 3 a 0 foi um belo gol. O Fortaleza buscou a reação com Pikachu e Matheus Vargas: 3 a 2. Mas o dono da noite, fez o quarto, em nova falha do goleiro do tricolor cearense.

Hugo Rodallega é o primeiro estrangeiro desde Beto Acosta a marcar quatro gols em um jogo no Brasileirão. O atacante uruguaio fez todos os gols na vitória do Náutico sobre o Botafogo por 4 a 1, em 2007, no estádio dos Aflitos.

Aos 36 anos, o atacante marcou metade dois oito gols do artilheiro Gilberto que divide a liderança com Bruno Henrique e Edenílson. Nota 10 para o colombiano veterano que deu seis chutes na partida, cinco no gol. 

Há seis anos, um jogador não marcava quatro gols em um mesmo jogo no Campeonato Brasileiro. Noite inesquecível de Rodallega. A camisa 23 do Bahia vai vender que nem água de coco. 

 

Comentários

Colombiano nota 10: Noite matadora de Rodallega na goleada do Bahia sobre o Fortaleza!

COMENTÁRIOS

Use a Conta do Facebook para adicionar um comentário no Facebook Termos de usoe Politica de Privacidade. Seu nome no Facebook, foto e outras informações que você tornou públicas no Facebook aparecerão em seu cometário e poderão ser usadas em uma das plataformas da ESPN. Saiba Mais.

Brasil x Argentina: Duelo para quebrar invencibilidade de seleções rivais e de apimentar confronto pessoal entre Messi e Neymar!

Carlos Sartori
Carlos Sartori

Os dois craques do PSG terão um duelo pessoal no confronto entre Brasil e Argentina, neste domingo (5), na casa do Corinthians, pela sexta rodada das eliminatórias sul-americanas para a Copa do Mundo Catar 2022. Dos sete jogos disputados na competição, o argentino esteve em todos e marcou apenas dois gols. O brasileiro em cinco partidas e é o vice-artilheiro com cinco gols, um atrás do atacante boliviano Marcelo Moreno. Neymar ainda colaborou com quatro assistências e soma nove participações diretas em gols da seleção brasileira. Messi não foi garçom em nenhum dos 12 gols. O camisa 10 argentino é superior em passes decisivos (17 a 14). O camisa 10 brasileiro em dribles certos (37 a 24). Ambos não foram destaques no último confronto das duas seleções.


A Argentina vem de uma vitória tranquila sobre a Venezuela por 3 a 1, na última rodada, e tem o terceiro melhor ataque empatado com a Colômbia. O Brasil é a equipe mais ofensiva com 17 bolas nas redes e a melhor defesa com apenas dois sofridos. Saldo de 15 gols positivos. Enquanto, a Argentina tem a segunda defesa menos vazada com seis bolas nas redes e seis de saldo positivo. Brasil e Argentina são as únicas seleções invictas nas eliminatórias sem uma única derrota. A seleção de Tite soma sete vitórias com 100% de aproveitamento. O selecionado argentino venceu quatro e empatou três. Seis pontos separam o líder do segundo colocado: 21 a 15.  

Amigos e adversários: os dois melhores sul-americanos!
Amigos e adversários: os dois melhores sul-americanos! Getty Images


Enquanto o comandante Tite faz história com números poderosos à frente da seleção brasileira nas eliminatórias, a Argentina é a segunda seleção com maior número de invencibilidades na atualidade entre todas as seleções: em 21 jogos, 14 vitórias e oito empates. Só fica atrás da Itália: em 35 partidas, 27 vitórias e oito empates.


Tite é o técnico brasileiro com mais vitórias em eliminatórias: em 19 jogos, 17 vitórias. Não sofreu nenhuma derrota e não leva gols há 14 jogos. Além de dois empates, o ataque poderoso marcou 47 gols e sofreu apenas cinco. Aproveitamento de 93%.


No duelo de Neymar e Messi com as camisas 10 das melhores seleções da América do Sul, o argentino goleia o brasileiro nos números. Nas vitórias, 4 a 2, nos gols, 6 a 1. Ambos estão em começo de temporada e fora de forma. A vantagem de Neymar será jogar em casa, mas na final da Copa América disputada no Maracanã, há quase dois meses, isso não significou nada. Os argentinos quebraram um jejum de 28 anos sem levantar a taça ao bater o Brasil por 1 a 0, gol de Di Maria, e Messi conquistou pela primeira vez um título pela seleção do seu país.


Por jogar em casa, Neymar terá mais responsabilidade. Na última partida, na vitória por 1 a 0 contra o Chile, em Santiago, gol de Everton Ribeiro, ele teve uma péssima atuação e estava nitidamente fora de forma. O camisa 10 é a principal peça do esquema de Tite e quando não funciona, prejudica outros atletas que se desdobram por ele. Neymar tem crédito, mas não pode ser café com leite quando não está bem. A culpa não é dele, e sim de Tite, que às vezes parece ter medo de tirar o jogador de campo. Contra a Argentina, o craque terá a chance de se redimir. Assim, espero. 

 

Comentários

Brasil x Argentina: Duelo para quebrar invencibilidade de seleções rivais e de apimentar confronto pessoal entre Messi e Neymar!

COMENTÁRIOS

Use a Conta do Facebook para adicionar um comentário no Facebook Termos de usoe Politica de Privacidade. Seu nome no Facebook, foto e outras informações que você tornou públicas no Facebook aparecerão em seu cometário e poderão ser usadas em uma das plataformas da ESPN. Saiba Mais.

Brasileirão: Com técnicos argentinos, Bahia e Fortaleza duelam para quebrar sequência sem vitórias na última rodada do 1º turno!

Carlos Sartori
Carlos Sartori

A última rodada (19ª) do primeiro turno do Campeonato Brasileiro terá apenas cinco jogos. Na abertura, neste sábado (4), dois gigantes nordestinos entram em campo para espantar a falta de vitórias: Bahia e Fortaleza, 21h, no estádio Pituaçu, em Salvador. Em situações diferentes na competição, a curiosidade é que os dois times são comandados por argentinos. Diego Dabove estreou na derrota do Bahia para o Fluminense por 2 a 0, na última rodada. E desde maio, Juan Pablo Vojvoda encanta com o excelente futebol apresentado pelo Fortaleza. Jogo bom para ver e analisar, ainda mais em um clássico. Detalhe: os dois se enfrentaram duas vezes quando trabalhavam no futebol argentino. Vojvoda leva a melhor: uma vitória e um empate.

No último duelo no Brasileirão, Bahia goleou o Fortaleza
No último duelo no Brasileirão, Bahia goleou o Fortaleza Pedro Chaves / Fortaleza


O time baiano é o 16º colocado com 18 pontos empatado com o America-MG, primeiro clube na zona de rebaixamento, mas à frente no número de vitórias (5 a 4). O Bahia tem uma sequência negativa de oito jogos sem vitórias: sete derrotas e um empate. O time perdeu os últimos três jogos e tem a pior defesa do campeonato. Levou 30 gols e fez 20. O Bahia é o segundo, entre 20 clubes, com mais derrotas (10). De positivo apenas o atacante Gilberto. O camisa 9 é o artilheiro da competição com oito gols ao lado de Bruno Henrique e Edenílson, mas o artilheiro cumpre suspensão por causa do terceiro cartão amarelo. Um desfalque importante para quem precisa vencer!


O Fortaleza tem a melhor participação na história do Brasileirão. O Leão é o terceiro colocado com 33 pontos e defende uma invencibilidade de quatro partidas, mas teve três empates nas últimas três rodadas. O ótimo time treinado pelo argentino Juan Vojvoda está há oito rodadas na terceira colocação e já liderou três vezes a competição. O Fortaleza assume a vice-liderança em caso de vitória. Motivo: o Palmeiras teve seu jogo contra o Ceará adiado. Gosto muito do estilo do treinador argentino. O Fortaleza pressiona o adversário e é agressivo no ataque. Em 18 jogos, foram 27 gols marcados, 16 sofridos e apenas três derrotas. Para o duelo contra o Bahia, apenas um desfalque. O volante Felipe recebeu o terceiro cartão amarelo e cumpre suspensão


Se no campeonato o Fortaleza é a sensação, no retrospecto geral o Tricolor baiano domina. Em 39 jogos, venceu 15 contra 10 do Fortaleza com 14 empates. O Bahia fez 57 gols contra 45. Em duelos pelo Brasileirão, o time baiano também é mais positivo. Em oito jogos soma uma vitória a mais (3 a 2). As duas equipes empataram três vezes.


O Bahia precisa vencer para fugir da zona de rebaixamento. O Fortaleza para colar no líder Atlético-MG. No último encontro pelo Brasileirão 2020, no dia 20 de fevereiro deste ano, o time baiano goleou o cearense por 4 a 0 e na casa do adversário, o Castelão. O camisa 10 Rodriguinho deu show com três gols. Rossi fechou o placar. Quase sete meses depois, a situação é bem diferente, mas com técnico novo o Bahia poderá surpreender. Um empate também seria justo. 


BAHIA
Matheus Teixeira; Nino Paraíba, Conti, Luiz Otávio, Juninho Capixaba; Daniel, Patrick de Lucca; Rossi, Rodriguinho, Mugni; Rodallega. Técnico: Diego Dabove 

FORTALEZA
Marcelo Boeck; Tinga, Jackson e Titi; Yago Pikachu, Éderson, Matheus Jussa, Matheus Vargas e Lucas Crispim; Robson e David. Técnico: Juan Pablo Vojvoda

Comentários

Brasileirão: Com técnicos argentinos, Bahia e Fortaleza duelam para quebrar sequência sem vitórias na última rodada do 1º turno!

COMENTÁRIOS

Use a Conta do Facebook para adicionar um comentário no Facebook Termos de usoe Politica de Privacidade. Seu nome no Facebook, foto e outras informações que você tornou públicas no Facebook aparecerão em seu cometário e poderão ser usadas em uma das plataformas da ESPN. Saiba Mais.

mais postsLoading